segunda-feira, 1 de maio de 2017

EU SOU PELO BRASIL!!!

                      Resultado de imagem para manifestações pacíficas pelo Brasil
          Nas últimas semanas, o Brasil foi convocado a uma GREVE GERAL, a qual ocorreu na sexta-feira, dia 28 de abril. Foi uma manifestação social, permitida pela lei brasileira. E houve participação de pessoas dos mais diversos setores sociais, ocupações ou credos.
        De fato, não é meu objetivo condenar a intenção dos organizadores de tais manifestações. Mas, gostaria de pontuar as minhas preocupações e dúvidas. Principalmente, se estamos lidando com uma luta por direitos respeitados:

1.   Direitos foram respeitados, quando se impediam pessoas que gostariam de ir trabalhar? Enquanto se fechavam rodovias com bloqueios de pneus em chamas (o que já é uma lamentável marca registrada da maioria dos protestos no Brasil); e colocava-se lixo, blocos de cimentos para obstruir vias férreas? Ou se intimidava, supostamente, alguns cidadãos que tentavam exercer seu direito de cumprir expediente profissional? (Havendo relatos de pessoas que foram impedidas de trabalhar, sendo ameaçadas por indivíduos armados, que lhes obrigavam a aderir à greve). Também, muito embora haja manifestações inegavelmente pacíficas, existem episódios que reportam cenas de violência, agressões verbais, destruição de patrimônio, desrespeito verbal/moral a autoridades. O que é claramente contrário ao espírito cívico e à cidadania, que devem existir, em uma legítima e adequada busca por direitos.

2.     Direitos foram respeitados, quando muitos (talvez a maior parte do nosso povo), nem se dê ao trabalho de investigar cuidadosamente (mesmo quando possui recursos para isto), o que de fato estão defendendo ou condenando? Ficando limitados a rejeitar ou apoiar medidas que nunca conheceram profundamente; mas, apenas ouviram falar, ou receberam uma postagem (aliás, como se faz com quase tudo no Brasil; país de um povo que tanto amo, maravilhoso; mas que na sua maioria, possui uma cultura de “fofoquismo preguiçoso” e não investigativo – se satisfaz com evidências incompletas e achismos; prática de uma maioria manipulável. Que sempre sofreu por não se dar o trabalho de “saber”; por que é mais fácil e menos trabalhoso “achar”). Pergunto, novamente: A MAIOR PARTE DO NOSSO POVO SABE O QUE ESTÁ NOS TEXTOS DAS REFORMAS QUE SE DEFENDE OU REJEITA? Como lutar contra ou a favor de direitos que não conhecemos?

Sugiro, então, LEIA, PESQUISE, PROCURE UM AMIGO ESPECIALISTA NAS ÁREAS DE DISCUSSÃO. PEÇA UMA EXPLICAÇÃO A UM ADMINISTRADOR, UM PROFESSOR, UM ADVOGADO, UM CONTADOR. Alguém a quem você possa dizer: “Preciso que me dê uma ajuda, pois quero entender sobre o que estamos debatendo e falando. Preciso de uma orientação honesta e imparcial. Poderia me ajudar”? Vale à pena, neste momento, parar para aprender. Ou continuaremos a ter impedimentos presidenciais, mentiras, corrupção. Se formos um povo desinformado ou que aprende, exclusivamente, sobre política com os políticos, ou com órgãos de classe, como os sindicatos; ou com pessoas apaixonadas demais pela direita ou pela esquerda, para conseguirem enxergar com clareza e opinar, com menor parcialidade, sobre o que é justo e legal, para o Brasil.

          Faço mais uma pergunta aqui: POR QUE UMA GREVE GERAL NAQUELA SEXTA-FEIRA, EM UMA DATA QUE É ANIVERSÁRIO DE OUTRAS GREVES GERAIS HISTÓRICAS, COMO FOI O 28 DE ABRIL?  POR QUE NÃO EVITAR QUE EXISTISSE  MAIS UM “FERIADO” NUM MÊS TÃO  “FURADO” POR FERIADOS EM EXCESSO (MINHA OPINIÃO  PESSOAL); E NÃO APROVEITAR O 1° DE MAIO, QUE JÁ É FERIADO, PARA REINVINDICAR DIREITOS TRABALHISTAS? 

        Penso que devemos ter um Brasil, para os brasileiros. Também, que cada mudança deve ser largamente discutida pelos homens competentes, legítimos representantes do povo sofrido que os escolheu. E ainda, que este povo brasileiro, do qual eu orgulhosamente faço parte, precisa aprender a lutar por seus direitos, sem violar direitos;  a abrir mão de direitos unilateralizados, que favorecem a alguns privilegiados e esquecem a outros. Precisamos de líderes que se sacrifiquem, pois os maiores líderes da história foram homens que se sacrificaram, e até morreram, pelos ideais que defendiam.  Questiono a legitimidade de líderes, homens ou mulheres, que manipulam o povo, no uso de discursos emocionalistas, para se beneficiarem. E que enquanto seus liderados lutam por direitos, em seu nome, eles vão descansar, usufruir, viajar, aproveitar o feriado.
(Excetua-se, é claro, os impedimentos justificáveis de ordem pessoal, ou questões relativas a enfermidades, ou dificuldades verdadeiras).
          Creio que há esperança para o Brasil, e para os brasileiros que estão aprendendo a afirmar: EU SOU PELO BRASIL. E A CLASSE POLÍTICA DEVE NOS RESPEITAR E NOS AJUDAR A CUMPRIR A CONSTITUIÇÃO: A TER DIREITOS E DEVERES, BEM ASSEGURADOS; EM EXERCÍCIO JUSTO E EQUILIBRADO. EU SOU PELO BRASIL: SOU MAIS QUE ESQUERDISTA, OU MAIS QUE DIREITISTA. ACIMA DE TUDO ISTO, EU SOU BRASILEIRO!
  
                                                                               Túlio Vasconcelos.



        

3 comentários:

  1. Concordo plenamente com suas observações. Hoje, 01 de maio, seria o dia ideal para que as pessoas (trabalhadores) conscientes das suas lutas fossem as ruas para protestar ou apoiar as mudanças. Não foi uma greve geral por vontade e sim por imposição, não tem como medir se as pessoas realmente queriam estar lá porque foram impostas por vários sindicatos desrespeitosos dos direitos dos cidadãos. É uma vergonha o que vivemos no nosso Brasil. Nós precisamos dar respostas e elas só serão dadas quando deixarmos de olhar para nós mesmos, buscando benefícios individuais e pensarmos na nação como um todo.

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente, as pessoas não sabem o que é reinvindicar os direitos do POVO. Ao contrário, tudo não passa de uma falácia, uma desculpa ideológica para poder defender seus ideias egoístas e pessoais. Sou a favor que se reinvindique esse direitos, mas longe de prejudicar os direitos dos outros. Afinal, "lutar por direitos" impedindo os direitos de ir e vir dos outros, acaba se tornando uma contradição. Que venhamos lutar por um Brasil melhor sim, mas jamais ferindo os que já são muito prejudicados por nossos líderes: A nação! #AvançaBrasil

    ResponderExcluir
  3. Excelentes complementações. Agradeço por participarem.

    ResponderExcluir